Seleção paralímpica chega a Amsterdã e segue para a Eslovênia nesta terça-feira

Seleção paralímpica chega a Amsterdã e segue para a Eslovênia nesta terça-feira

Após incidente com o voo no último sábado, delegação seguiu para a Holanda e descansa durante o resto do dia

FOTO: Grupo brasileiro antes do embarque, no Rio de Janeiro.

 

seleção_paralímpica_14out2018Amsterdã (NED), 15 de outubro de 2018.

Por: Assessoria de Comunicação – CBTM

A delegação brasileira que vai disputar o Mundial Paralímpico Individual, na Eslovênia, chegou nesta manhã a Amsterdã, na Holanda. O grupo de 11 atletas e comissão técnica permanecerá descansando no hotel durante o resto do dia. Nesta terça-feira, às 8h05 (horário de Brasília), eles seguem para Zagreb, na Croácia, que fica a 100 quilômetros de Lasko, local do evento. O percurso entre Zagreb e Lasko será feito via terrestre e o grupo deve chegar no início da tarde (também pelo horário de Brasília).

A programação feita para o Mundial previa viagem no sábado (13), com chegada no domingo, três dias antes da estreia. Porém, um problema no voo de São Paulo com destino a Paris fez com que a aeronave precisasse realizar um pouso de emergência no Rio de Janeiro, quebrando toda a logística. Os atletas permaneceram na capital carioca e seguiram para a Holanda no final da noite de domingo.

“Ficamos apreensivos, mas aterrissamos com toda a segurança. Estamos todos bem. Agradeço a preocupação e o carinho e conto com a torcida de todos para trazermos medalhas para o nosso país”, disse Claudio Massad, atleta da classe 10.

A comissão técnica optou por fazer a alteração de rota após o incidente, em razão das poucas opções apresentadas. Se seguissem a mudança proposta pela companhia aérea, o grupo teria de encarar uma longa viagem de 16 horas até o local do evento, pois os voos de Paris para Liubliana, capital da Eslovênia, estavam lotados.

“Neste momento, o mais importante é garantir que os atletas estejam relaxados e focados. Amanhã, seguimos viagem para Lasko”, explicou Victor Lee, gerente de seleções da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa.

 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.
FATO&AÇÃO COMUNICAÇÃO

Fonte: cbtm.org.br

 

Deixe uma resposta